Quando ignorar não é o suficiente

E quando alguém nem com a ignorância se contenta? Se por um lado mostra cada vez mais quem realmente é, por outro tem a capacidade de deixar qualquer me incrédula com facto de não ter noção das atitudes que tem. Bem que se podia poupar às figuras que faz, mas prefere dizer que eu é que as faço, lindo.
Eu ando a acumular, a evitar dizer tudo o que vem à cabeça, a ver se a criatura percebe que está a ser ridículo, um dia "explodo" e ainda acabo por dizer o que não devia. E, eu que julgava que na altura tinha posto os pontos nos "is", pelos vistos, enganei-me.
Paciência, muita paciência!

Isto parece uma história de malucos.

Comentários