Já VOAram...



O Vagos vai mudar-se para Corroios....
O Vagos Open Air, estava na lista dos festivais a que um dia hei-de ir (isto quando começar trabalhar e a ganhar algum, que espero sinceramente não faltar assim tanto), mas decidiram  mudá-lo para Corroios (Lisboa) , o que é parvo, pois, continuar a chamar VOA a algo que se passa em Lisboa, faz todo o sentido (ao menos dêem-se ao trabalho de mudar o nome). Além do mais este festival na zona Lisboa vai ser apenas "mais um".

Shuffle Time


Peguei este desafio do blog Words à la Carte. Já não fazia algo do género há tanto tempo.

Regras:
  1. Colocar a playlist em aleatório (usei biblioteca do Grove do pc, mas podem também usar a do telemóvel, do mp3, ou qualquer outro dispositivo);
  2. Ver as cinco músicas que calham;
  3. Falar um pouco sobre as mesmas: onde as conhecemos, que significado têm para nós, há quanto tempo não as ouvíamos... e tudo mais que se queira acrescentar.

1- Avarice - Disturbed
Esta música é do álbum Ten thousan fists, um dos primeiro álbuns que conheci da banda.

2- Youth sentimental - Siglo xx
Esta é daquelas músicas que não me lembro de onde a arranjei, provavelmente terá sido do facebook da Antena 3, mas acho que não a ouvi muito depois disso.

3-Slately lover - Lacuna coil
Adoro Lacuna Coil! Esta música é do albúm In a Reverie, e já não o ouvia à tanto tempo, que nem me lembrava desta música.

4- Follow you - Ramp
Uma banda tuga. Esta música é do albúm Visions, um dos meu favoritos.

5-Sick - Evanescence
Evanescence foi durante algum tempo uma das minhas bandas favoritas, identificava-me de tal forma com as letras das músicas, que acho que nessa época eram raros os dias em que não os ouvisse, era quase como uma forma de suportar o dia. Esta música é do último álbum Evanescence.

E foi o que saiu, acabou por ser uma boa forma de ouvir músicas que já não ouvia à muito tempo e de redescobrir álbuns. Ultimamente tenho usado mais o Spotify, que acabo por andar a ouvir sempre bandas novas/ que não conheço muito bem.

Se quiserem fazer o desafio, estejam à vontade!

Mixa - Campanha Youzz



Hoje, venho falar-vos do creme Mixa.
Fui seleccionada para participar na campanha "Mixa" da #youzz  (podem registar-se aqui). Aqui fica a minha opinião.

10 Cloverfield Lane



Vi o primeiro filme numa ida a o cinema com uns amigos. e, sendo um filme com final em aberto, durante vários dias que falámos dele, sobre o que teria acontecido depois, porque é que aquilo tinha acontecido, etc.
Estou curiosa em tentar perceber se este é a continuação do primeiro ou sequer se está relacionado, isto porque : "A ideia surgiu há muito tempo durante a produção. Queríamos torná-lo um parente de sangue de Cloverfield. A ideia foi desenvolvida ao longo do tempo. Queríamos manter o título escondido pelo maior tempo possível.", disse J.J. Abrams ao site Collider.
Quando sair, hei-de vir este filme.

E o trailer do primeiro:

Freud que explique...


via GIPHY
...porque raio fui sonhar com fiambre?!

 No sonho lembro-me de estar na rua, nas traseiras de minha casa, e, aparece uma vizinha com umas fatias de fiambre na mão e diz "Tenho aqui este fiambre, não sei se queres ou não, ainda tem algum que se aproveita." e eu digo que sim, apesar do fiambre ter aspeto de estragado. Ela dá-me metade das fatias que tinha porque "são as que estão melhores", agarro-as, cheiro-as, dou uma espécie de trincadela e digo que "ainda está bom", apesar de aquilo saber mal, depois, dá-me o resto das fatias porque "posso ainda querer fazer alguma coisa com elas" e, assim que vira costas deito aquilo tudo para o lixo.

... Se há sonhos parvos, sem dúvida que este é um deles.

Aroma das especiarias - Joanne Harris , opinião


Sinopse:
Vianne Rocher recebe uma estranha carta. A mão do destino parece estar a empurrá-la de volta a Lansquenet-sur-Tannes, a aldeia de Chocolate, onde decidira nunca mais voltar. Passaram já 8 anos mas as memórias da sua mágica chocolataria La Céleste Praline são ainda intensas.

A viver tranquilamente em Paris com o seu grande amor, Roux, e as duas filhas, Vianne quebra a promessa que fizera a si própria e decide visitar a aldeia no Sul de França. À primeira vista, tudo parece igual. As ruas de calçada, as pequenas lojas e casinhas pitorescas… Mas Vianne pressente que algo se agita por detrás daquela aparente serenidade. O ar está impregnado dos aromas exóticos das especiarias e do chá de menta.

Mulheres vestidas de negro passam fugazes nas vielas. Os ventos do Ramadão trouxeram consigo uma comunidade muçulmana e, com ela, a tão temida mudança. Mas é com a chegada de uma misteriosa mulher, velada e acompanhada pela filha, que as tensões no seio da pequena comunidade aumentam. E Vianne percebe que a sua estadia não vai ser tão curta quanto pensava. A sua magia é mais necessária do que nunca!
"-Olhem para mim, todos vós - disse Inès.- Olhem bem para a minha cara. É o rosto da crueldade, do fanatismo, e da injustiça. Estas coisas não são uma questão de religião, raça ou cor. Um crime cometido em nome de Alá não deixa de ser um crime. Acham que são melhores que Deus? Acham que podem enganá-lo com a vossa conversas sobre justiça?" - pg 462, Aroma das especiarias, Joanne Harris
(para quem não leu/quer ler o livro, contém spoilers)

Começamos bem...

Ainda o ano começou e, neste momento se tivesse um grande buraco, ia para lá!
Candidatar-me a um outro posto num sítio (não sabia que era lá) onde não fui aceite, é obra!
Visto de fora, dá vontade de rir, a sério que dá.
Um dia começo a jogar no euromilhões. Se consigo acertar em tanta coisa, uns números não há-de ser assim tão difícil.
Espero é que não se lembrem de mim (o que é um bocado difícil, dado que três semanas não é assim tanto tempo), vai ser esquisito, mas vai ter de ser, não há como fugir. E, se desta vez conseguir, é melhor do que nada, que é o que tem sido até aqui.